Freios ABS ou CBS obrigatório desde 2016

Medida preventiva contra acidentes

Freios com sistema antitravamento das rodas – ABS ou sistema de frenagem combinada das rodas – CBS, passam de item de segurança opcional para obrigatório, a partir de 2016, para motocicletas, motonetas, triciclos e quadriciclos, por exigência do Conselho Nacional de Trânsito – Contran.

Sistema antitravamento com prazo máximo até 2019

A Resolução nº 509, de 27 de novembro de 2014 determina que o item ABS seja obrigatório para motos com motor igual ou superior a 300 cilindradas (combustão) ou 22 quilo watt (elétrica) – incluindo veículos produzidos para importação – [na Europa este item de segurança também torna-se obrigatório a partir de 2016 por determinação da União Européia em 2013] e que veículos da categoria abaixo de 300 cc ou 22 kW (desconsiderando veículos militares, exclusivos ou fora de estrada, de fabricação artesanal e ciclo elétricos com potência inferior a 4 kW) podem optar pelo sistema ABS ou CBS, desde que atendam aos critérios técnicos da norma da ABNT NBR 16068 (2012) que trata dos requisitos dos sistemas de frenagens obrigatório (ABS) para todos (a partir de 2014) os veículos de quatro ou mais rodas pertencentes às categorias M1, M2, M3 e N1, N2 e N3, em vigor desde 2011 pela Resolução nº 380 de 28 de abril de 2011.

Sistema de freios ABS - Teste
Imagem: Sistema de freios ABS – CESVI – Teste de Sistemas

A resolução define para ABS: “sistema composto por uma unidade de comando eletrônico e sensores de velocidade das rodas que tem por finalidade evitar o travamento das rodas durante o processo de frenagem”; e para CBS: “sistema que distribui proporcionalmente a força de frenagem para as rodas garantindo uma desaceleração rápida e segura, independente dos sistemas serem dotados de disco ou tambor.

Deste modo, o sistema CBS não garante o antitravamento das rodas, apenas a distribui a força de frenagem para as duas rodas, o que pode prejudicar certas manobras de pilotos experientes, já o sistema ABS garante o antitravamento, independente da força aplicada na frenagem.

Pesquisas revelam que mais de 40% dos acidentes envolvendo motocicletas foram provocados por frenagens hesitantes ou equivocadas, por outro lado um estudo realizado pelo Centro de Experimentação e Segurança Viária – CESVI (vídeo abaixo), mostra que o sistema de freios ABS podem reduzir o número de acidentes.

Pela exigência, a partir de 1º de janeiro de 2016, 10% dos veículos devem ser produzidos com o sistema de segurança integrado, 30% no início de 2017, 60% em 2018 e 100% até 1º de janeiro de 2019. O não cumprimento da norma, implicará na suspensão do Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito – CAT. (CONTRAN .2014. Disponível em: https://www.denatran.gov.br/download/Resolucoes/Resolucao5092014.pdf)

Vídeo selecionado: Testes de frenagens – Motos com e sem Sistema ABS

https://youtube.com/watch?v=kC238QJhqJE%3Frel%3D0%26showinfo%3D0

6 comentarios em “Freios ABS ou CBS obrigatório desde 2016

  1. só fizeram esta lei para poder exportar as motos e carros a preço de banana pra europa e depois descontar mais um pouco nas costa do brasileiro.

  2. o governo, que se diz tão preocupado com a segurança no trânsito, poderia abater os custos de instalação dos abs, em parte da alta carga tributária, a qual chega a triplicar valor final de uma moto, da linha de produção ao consumidor final.teríamos motos com os mesmos valores que pagamos atualmente, mas com um sistema de segurança que salva vidas.

  3. comprei uma moto e minha moto não veio com esse sistema o que devo fazer ? alguém sabe minha moto e 2016/2016 fui enganado vendededor não me disse nada

    1. conforme o artigo, as empresas são obrigadas a produzir 10% das motos com o sistema. portanto, 90% ainda podem ser vendidas sem o item. por ex, todos os modelos tipo titan 160, fan 160, entre outras, já estão saindo de fábrica com freios de série. mas existem outros modelos que ainda é item opcional. somente em 2019 que todos os modelos relacionados devem possuir o item, por lei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *